14 de mai de 2013

Texto Alheio: Eu me basto

Tumblr_lvhvuu5vwo1qipu41o1_500_large
www
Mania das pessoas acharem que sabem mais sobre a minha felicidade do que eu mesma. Por que eu tenho que ter alguém para estar bem? Lógico, não quero viver a vida inteira sozinha, mas poxa, eu estou tão numa boa comigo e com as minhas coisas, minha casa, meus pensamentos e meus livros. Às vezes até sinto falta de alguém, mas de uma pessoa que ainda não conheci.
Gosto da minha rotina, de fazer café pra mim mesma, lavar a louça e arrumar a sala quando bem entender. Amo brincar com meus cachorros, sair sem hora pra voltar, ser dona do meu tempo e dos meus lençóis. Comandar meu destino até onde eu posso e cometer as loucuras que a minha juventude permite. Sou irresponsável dentro dos meus limites e eu faço minhas próprias regras.
Não é preciso solidão para viver sozinha. Não me venham com essa de pessoas vazias e que todos querem alguém legal e blá, blá, blá. Eu quero me divertir mesmo, aproveitar todos os caras que eu quiser e saboreá-los ao meu bel prazer. Pode até ser que eu encontre uma pessoa para sossegar, mas, primeiro, preciso de amores errantes, para depois valorizar um sentimento verdadeiro. É bom praticar o desapego antes de uma louca paixão. Nos ensina a arte da sobrevivência emocional.
Sou feliz como sou, me arrependo do que faço, mas nunca do que deixo de fazer. Arrisco, choro, me entrego e amo, mesmo que por algumas horas. Enfrento uma aventura diária chamada viver. Amo a mim mesma – principalmente - e, desta forma, posso me libertar para sentir o que os caminhos do destino podem me proporcionar. Os trens, elevadores, corredores dos prédios e as filas de banco sempre me surpreendem.
Não espero nada do cotidiano, a não ser a intensidade de cada minuto. Não preciso de você, não preciso de ninguém, só preciso de mim, das minhas amigas para rir e dos meus cafajestes que, volta e meia, me fazem chorar. Ah, isso que é vida... Sei que meu estilo incomoda, mas não estou aqui para agradar e sim para respeitar o meu corpo. Ele pede e eu obedeço. Eu me basto.

Esse texto foi escrito por Chico Garcia: Jornalista e cronista da vida real. Romances, experiências e novas descobertas em cada palavra, em cada memória. Para ler mais textos dele, clique aqui;

2 comentários:

  1. Adorei o texto e concordo com algumas partes, outras eu descordo, mas gostei dele todo! haha

    Participe do concurso de um ano que está rolando lá no blog!
    modaetutorial.blogspot.com.br/2013/05/one-year-later-concurso.html
    KISSUS

    ResponderExcluir
  2. Adorei essa de ás vezes sinto falta de alguém q eu n conheci, curti o texto
    ladydarkangel13.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

© Conspirantes - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda Montt.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logoimagem-logoimagem-logo