29 de mai de 2014

Diminuindo

Untitled

Se não fosse a pressão do travesseiro no meu rosto, eu mal saberia que estava aqui. Parece que trocaram minhas artérias por conexões fracas e não há nada que me ligue comigo tão bem. É tanta bagunça e lixo acumulado na cabeça que meus sentidos resolveram tirar umas férias. E o pior é que nem tem o que doar. Tudo está tão destruído que, se não foi um incêndio, foi alguém bem ruim. Ou algum dos meus ataques de sonambulismo.
Não acredito que isso seja viver. A sensação de não sentir — ou de se observar sentindo como se estivesse em outra dimensão — é terrível. Olhar para as mãos, pensar em mexê-las e o fazer, mas como se fosse a sensação errada. É falso. Descarte que essa não serve. A atriz está consciente de novo, galera.
Coloquei a mão no fogo e despenquei numa tirolesa rumo ao mar para ver se fazia algum efeito em mim. Que eu viva, de qualquer forma, por favor! Não ficar lembrando da sensação de sentir (?), mas tê-las de verdade. Agora. Sempre.
Ei, você, supervisor. Aí mesmo, na minha cabeça! Acorda e chuta essas caixas rasgadas do caminho! Limpe esse chão e me deixe sentir! Devolva meu eu para mim!
Viajei com a cabeça imóvel, dormi agitada e acordei morta. Arranhei meu braço com uma dor fútil e escrevi no blog como se fosse  me despertar. Não quero zombar de mim mesma e ser tão vaga. Não quero subestimar as segundas e viver em ambientes fechados. Não quero me acostumar com a monotonia sendo que ela me engole quando saio da bolha. De que adianta estourá-la se a única coisa que muda em mim é a freqüência cardíaca? De que adianta o coração acelerar se eu não percebo? Não sinto suas consequências em mim? Estou diminuindo, desaparecendo, diluindo, deteriorando e fotografando cada instante. Não sou eu na foto. Ela parece feliz demais para isso.

3 comentários:

  1. Oi, eu gostaria de escrever como tu, tchau.
    AHJGSJHAGHS
    Adorei, principalmente a parte "A sensação de não sentir — ou de se observar sentindo como se estivesse em outra dimensão — é terrível" sei bem como é isso e me sinto exatamente assim as vezes.

    www.voamari.com

    ResponderExcluir
  2. Seu texto me lembrou de uma fase bem dark e pesada da minha vida, quando eu me sentia exatamente assim; extremamente vaga e vazia. Mas graças que já passou, ou disfarço melhor seilá, sou tão bagunçada que é dificil saber de verdade

    http://pequenamiia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

© Conspirantes - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda Montt.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logoimagem-logoimagem-logo
voyeur porn porn movies sex videos hd porno video