18 de mar de 2014

'Talvezes' e crises

n | via Tumblr

São 20:41, de acordo com o microondas do outro lado da cozinha. Quebro dois ovos na frigideira e jogo um punhado de sal. Jogo um pouco pelo ombro, só para seguir o costume dos outros. Ovos mexidos e chá para o jantar da senhorita! Que refeição. Acariciei preguiçosamente o destino desse amontoadinho de gordura: o outro amontoadinho de gordura. Talvez inventasse uma dieta nova na segunda. Ou na terça, já que a segunda em si já é bem estragada. Mas ajudaria se eu soubesse fazer algo além de ovos e macarrão. Miojo e brigadeiro não conta. Me lembrei dos encantadores canais de culinária internet afora. Talvez fosse hora de assistir todas as dezenas de vídeos marcados para 'assistir mais tarde'. De novo. Mas agora nunca é mais tarde.

Soprando o chá, embaçando as lentes dos óculos. Aquele clubmaster que todo mundo elogia. 'Você fica com cara de escritora', ouvi umas duzentas vezes. Não vou negar, mas só consigo me lembrar daqueles óculos que Machado de Assis usou no século retrasado.

Inclinei a cabeça para aproveitar o restinho de açúcar do fundo. Sentindo o celular vibrar com o WhatsApp, mas não dando a mínima. Hoje parece um daqueles dias que tudo amanhece preto e branco e cada quadro vai ter uma frase lamentável por cima. Minutos depois, nascem fotos que caem no tumblr e em páginas no Facebook que tem números no nome. E está tocando Lily Allen no fundo. O clipe de 22 faz o quê, cinco anos? Só sei que faltam cinco anos para os meus 22 e tenho medo de talvez estar vivendo a música mais do que deveria. Allen e seu jeito de destruir carinhosamente o mundo. Parece uma forma a se adotar.

Nem um punhado de cálculos super interessantes para resolver, ou todos os ovos mexidos do mundo, ou novas oitocentas curtidas no blog em quinze minutos poderiam tirar tanto cinza da minha cabecinha louca de jovem. A crise do último ano do ensino médio. A crise do fim da adolescência. A crise da quebra da zona de conforto. A crise da bolha estourada. A crise do 'talvez'. Porque enquanto o dia estiver assim, vou estar implorando para não abrir os olhos. Mas quando uma frestinha de cor entrar, vou arregalar para absorver tudo o que puder. E esquecer de todo o resto.

"When you look with your eyes
Everything seems nice
But if you look twice
You can see it's all lies"

2 comentários:

  1. Nossa esse texto ta muito, não sou de ler um texto inteiro no computador porque ja fico com dor de cabeça mas esse seu tive que ler, e o ultimo paragrafo define a minha vida esse ano pelo menos os talvez e tudo mais, adorei parabéns

    simplesmenteassimj.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Não me definiu, mas me identifiquei em algumas partes. Isso é tão frequente na vida de algumas pessoas... amei esse texto ♥

    anjos-deplantao.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

© Conspirantes - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda Montt.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logoimagem-logoimagem-logo