19 de jan de 2014

E por beleza, digo carisma | Sobre Lizzie Velasquez

46Lizzie.png

Segundo o dicionário informal, uma das definições de beleza é a "combinação de qualidades que impressionam agradavelmente a visão ou outros sentidos". É só um conceito, ninguém precisa ser a favor dele. Assim como eu não concordo com o conceito de bomba atômica. Mas sei quem deve ter sentido como se tivesse uma na cabeça.


Lizzie Velasquez tem 24 anos e nasceu com uma síndrome rara que não a permite ganhar peso. E foi intitulada por sabe-se lá quem como mulher mais feia do mundo em um vídeo, com milhões de críticas de pessoas que sequer tiveram conhecimento de sua doença. Na teoria, ela não ganharia peso, falaria ou andaria direito. Ela se considera (e realmente é) um milagre por contrariar isso. Acabou se tornando escritora e oradora motivacional. E ela pode ser esta última não por ter 'qualidades que impressionam a visão', mas qualidades que impressionam o emocional de qualquer um que não tenha um tijolo no lugar do coração (ou do cérebro, para os que preferirem). Ela tem, sim, uma beleza. E por beleza, digo carisma.


E é válido. A terceira definição diz "Caráter do que é intelectualmente ou moralmente digno de admiração". Conheço pouquíssimas pessoas que se encaixam perfeitamente nessa palavra. Não consigo imaginar a proporção dos problemas que Lizzie teve por toda a sua vida vinda de pessoas que acreditam mais na primeira definição da palavra. E prestando atenção em coisas além do que a fez 'ganhar seu título' de mais feia, você consegue enxergar. E sabe que pode funcionar muito bem para a autoaceitação também? Lizzie dá várias palestras sobre isso.


E quando olho para ela, vejo uma mulher injustiçada, mas resistente. E capaz de dar sorrisos sinceros e até muito mais bonitos do que a de (pseudo)modelos por aí. Não estique muito a pele para evitar rugas. Sorrisos amarelos. E vejo o sorriso alcançar seus olhos. Mesmo que um não enxergue realmente. Vejo esforço e determinação. E queria que todos vissem isso também - de preferência de olhos abertos e fixos na tela. Mesmo com uma lágrima no caminho. Se quiser uma personalidade para adotar como inspiração, tenho aí minha sugestão. Pra ter fé - seja em algum deus, em você mesmo, na natureza ou o que for.

*ficou tão brega isso*
"O que te define?"

15 comentários:

  1. Adorei seu post, Amanda! Essa garota, como você mesma disse, é injustiça, mas também é uma guerreira. Uma garota verdadeira, uma garota lutadora, que não se deixa abater por essa síndrome que tem. Acho que as pessoas deviam aprender a julgar menos, entender mais.
    bjss

    blogtrashrock.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Normal da internet. Fala primeiro, pensa umas semanas depois :x

      Excluir
  2. É questão de olhar o próximo, e observar o que ele é por trás de um rosto.
    E Lizzie é um não, é O exemplo de superação. De poder continuar, mesmo se todos os outros estejam te olhando com olhares negativos e preconceituosos. É a bandeira dela: se auto~aceitar. Mesmo quando o título de mais feia do mundo esteja rondando o habitat dos que fala primeiro, e pensa umas semanas depois - como você mesma falou - chamado internet.

    Ótimo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É coisa da internet, de humor negro e "zoeira sem limites hohhoohhoheheheihiihihih grassadaum". Terrível.

      Excluir
  3. Como você disse, Amanda, é muito estranho que pessoas que nem conheçam a doença ou as consequências dela a julguem como a mais feia ou façam piadinhas. O pior é que ao mesmo tempo que é estranho, para a internet, é algo normal. Zoe, desde que isso não te magoe. Zoe, desde que isso só incomode o outro. Zoe, porque, querendo ou não, todo mundo é obrigado a aguentar seu senso de humor de gente com o cérebro fodido. Zoe, porque vão rir e te achar especial barra gênio barra coolzíssimo. Realmente, beleza humana, caráter e uso do cérebro são as maiores distorções do ser humano, também conhecido como maior cagador de regras em relação aos três conceitos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Exatamente! Xingar é ~cool~, e quem não curte, vai apenas ser xingado também. Ou pior, sabe-se lá.

      Excluir
    2. Tem a questão de defesa mesmo. Mas não sou adepto disso na internet. cof cof cof HEHUEHEU

      Excluir
    3. Como assim, 'questão de defesa'?

      Excluir
    4. Penso que o ser humano tem uma necessidade anônima, de xingar, antes de ser xingado, zoado. É aquele negócio "sou um coitado por 'M' motivos, e agora o que me resta é tocar o terror na internet". É atacar imediatamente antes de ser atacado.
      Já percebeu o quanto soltamos verdades numa briga? Verdades estas que talvez em nenhum 'momento saudável' da nossa vida falaríamos. hahaha
      Isso tudo, mas a segurança que a internet dá, cara, é igual a internet de hoje, de amanhã e de sempre (!?)

      Paranóias humanas :/

      Excluir
    5. Aaah sim! Acho que concordo parcialmente mesmo hehe

      Excluir
  4. Amanda, eu já tinha visto um post sobre ela em outro blog. É comovente a história dela e ver como ela superou tudo depois. Lizzie é uma mulher incrível!

    Beijos
    http://ignorantesedoces.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Hoje em dia parece que a maioria das pessoas só conseguem entender quando passam pela mesma coisa. Claro que não devemos ser hipócritas, mas no mínimo ser sensível e se colocar no lugar do mesmo.

    Obrigado por compartilhar isto Amanda! Abraços!
    http://www.blogchampz.com

    ResponderExcluir
  6. eu tinha visto esse vídeo e me impressionei com a história dela...
    realmente uma guerreira que serve de motivação p mt gente que tem um probleminha ou outro e já pensa em "desistir da vida"...
    adorei o post!

    beijos da Lari <3
    Blog Call me Lari

    ResponderExcluir

© Conspirantes - 2014. Todos os direitos reservados.
Criado por: Amanda Montt.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logoimagem-logoimagem-logo